Terapia Comportamental: entenda como irá ajudar a você conquistar os melhores resultados para o seu paciente

Terapia Comportamental

“Como a Terapia Comportamental compreende e intervém as queixas trazidas pelos pacientes que buscam tratamento psicoterápico desta abordagem?” – você, profissional da psicologia e psiquiatria costuma fazer essa pergunta quando ouve relatos de pacientes que obtiveram sucesso no acompanhamento psicológico voltado à Terapia Analítico Comportamental?

Nesse texto, preparamos uma explicação clara e direta sobre as possibilidades de avanço comportamental que a abordagem, baseada na Teoria Comportamental, poderá proporcionar e como o profissional da área deve trabalhá-la em seu consultório.

A TERAPIA COMPORTAMENTAL

A Terapia Comportamental, ou Terapia Analítico Comportamental é uma abordagem da Psicologia, baseada na filosofia da Ciência do Comportamento conhecida como Behaviorismo Radical. A proposta defende que o comportamento dos organismos é ordenado, passível de ser estudado cientificamente na mesma forma das ciências naturais.

Esta proposta influencia e orienta o trabalho do Analista do Comportamento, que sempre busca descobrir, com seu cliente, os eventos no meio-ambiente (contexto) que influenciam, interagem com seus comportamentos-problema e o que os mantém, tendo como processo de analise a seleção pelas consequências passadas e atuais do individuo.

Tais comportamentos são analisados à luz de episódios históricos dando atenção aos três níveis de causalidade, sendo eles: Filogênese, a Ontogênese Individual e a Ontogênese Sociocultural que os determinaram e situações presentes que os mantém.

Para o terapeuta comportamental, sentimentos e pensamentos (crenças, intenções, sonhos, expectativas) e outros eventos tidos como cognitivos ou mentais não são negligenciados, são considerados comportamentos privados ou encobertos, e também não são considerados de natureza diferentes em relação aos eventos públicos, são diferentes apenas pela forma como se pode ter acesso a eles, pois estes se dão através do relato verbal daquele que pensa e sente.

Sendo assim, pensamentos e sentimentos, também, são levados em consideração, analisados e passíveis das intervenções do terapeuta.

O terapeuta comportamental entende que o cliente é único e seus problemas ou dificuldades são produtos de uma história particular de contingências. Isso humaniza o processo da psicoterapia, pois busca-se entender cada cliente e cada história, antes de propor qualquer intervenção.

O principal instrumento do terapeuta comportamental é a Análise Funcional, ou o levantamento criterioso das variáveis (eventos, acontecimentos) que estejam funcionalmente relacionados aos comportamentos desejáveis e indesejáveis do cliente.

Tendo este entendimento, que nem sempre é fácil, é possível propor e ensinar o cliente a realizar essa análise funcional (estabelecer relações entre o que sente o que pensa e o que faz publicamente com o que ocorre no ambiente antecedente e consequente) uma estratégia eficaz no alcance do bem-estar e da melhora.

A realização dessas análises (autoconhecimento) consiste em aprender que o seu comportamento tem uma função, e que há contingências que favorecem a instalação e a manutenção do mesmo, envolvendo sua história passada, seu comportamento atual e a relação terapêutica.

Modificando, aprendendo a lidar ou em algumas vezes aceitando os comportamentos-problema (públicos e encobertos), ao mesmo tempo em que se busca desenvolver e aumentar a frequência de comportamentos adequados ao contexto, desejáveis, funcionais e geradores de satisfação e felicidade.

A terapia comportamental tem um conjunto considerável de técnicas derivadas de pesquisas científicas, em laboratório ou no próprio setting terapêutico que abrangem todos os seguimentos com todos os públicos, grupos, demandas, psicopatologias onde a psicologia atua.

A Terapia Comportamental e suas novas ramificações tidas como terapia da terceira onda (ACT, FAP, Terapia Comportamental Dialética) são comprovadamente eficazes e trazem resultados significativos aos pacientes que são submetidos a elas.

Todo esse conhecimento é explorado pelos principais pesquisadores do país, que atuam hoje no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP. Estes profissionais, que são Professores Pesquisadores, Mestres e Doutores, da equipe do AMBAN (Ambulatório de Ansiedade), com vasto conhecimento científico e grande prática clínica em Terapia Cognitivo e Comportamental, compõem o corpo docente do curso ministrado hoje em Marília, presencialmente, organizado pelo ICC Marília.

Imaginamos que vocês, psicólogos e psiquiatras, estejam intelectualmente curiosos e ansiosos para expandir suas habilidades terapêuticas.

Venham ampliar e aprimorar sua atuação profissional conosco. Participe do curso em Terapia Cognitivo Comportamental pela equipe do AMBAN (Ambulatório de Ansiedade) no Instituto Cognitivo Comportamental de Marília – SP.

 

Postado em Psicologia e com as tag(s) , , , , .